Archive for the ‘Abril’ Tag

Fim de tarde…   Leave a comment

Esta sensação estranha
Esta ansiedade que se entranha
Esta luta interior
Este frio na raia do calor
Esta sensação estranha de ser
Esta sensação de perder antes de ter
Esta sensação antecipada de vazio
Esta sensação de que depois de amanhã
Não haverá mais manhã
Esta sensação estranha de que os gritos de outros
Calarão o meu assobio
Esta sensação estranha de marioneta nos teus braços
Ou de derreter nos teus abraços
Esta sensação estranha
De reservar um lugar
Para quem não pode estacionar
É isso mesmo
Uma sensação estranha
Mas que se entranha

Raul Cordeiro, Assobio

Anúncios

Posted 6 de Maio de 2010 by João Carvalho in Foto

Tagged with , , ,

Espelho   Leave a comment

Quero dizer (que no sonho não há espelho)
Tens medo de amar
E disfarças com um sorriso
Um bem tão bem
Um bem tão preciso
Ou tens medo de esconder de outros olhos
Uma ferida
Uma dor que cicatriza
Um sonho que não se realiza
Apenas digo
Que no sonho não há espelho
Somos só nós e o sonho
E somos tudo
O preto e o vermelho

Raul Cordeiro

Posted 24 de Abril de 2010 by João Carvalho in Foto

Tagged with , , ,

De cabeça para baixo   Leave a comment

Foto: Miguel Carvalho

10 anos

Posted 22 de Abril de 2010 by João Carvalho in Foto

Tagged with , , , ,

A duas cores.   Leave a comment

Posted 18 de Abril de 2010 by João Carvalho in Foto

Tagged with , ,

A papoila   Leave a comment

A papoila tem o tom vermelho, rubro da festa em brasa.

E, no verde manso do trigal – se aparece
É o grito que contesta a cor certinha o ondular cadente
ao toque do tempo – compassos do vento!…
É a gargalhada insólita, inesperada
que desfralda a revolta recalcada !
E… a papoila sabe!
Cativante! – Erótica, ao tacto macia…
tem toque de pele – morna como um ventre …
tem toque de seda – um mole de veludo


– Um nada de cada – um pouco de tudo …
Por isso, disfarça o olhar pestanudo
de estames fartos que o ópio perturba…
– Sabe-lhe o negrume e esconde-o bem
na cor escaldante que as pétalas tem.
– Bem de longe chama! – sou de sangue e lume!
– Sou de sangue e lume!…
– E, só se colhida – de morte já ferida
em requebro de tango, maldosa, perdida
sensual, pagã – confessa o ciúme
de usar veneno em vez de perfume.

Maria José Rijo
LIVRO DAS FLORES

Posted 16 de Abril de 2010 by João Carvalho in Foto

Tagged with , ,

Naturalmente natural.   Leave a comment

Posted 8 de Abril de 2010 by João Carvalho in Foto

Tagged with , ,

camuflado ???   Leave a comment

Posted 8 de Abril de 2010 by João Carvalho in Foto

Tagged with , ,

%d bloggers like this: