Archive for the ‘Foto’ Category

No Sorriso Louco das Mães   Leave a comment

No sorriso louco das mães batem as leves
gotas de chuva. Nas amadas
caras loucas batem e batem
os dedos amarelos das candeias.
Que balouçam. Que são puras.
Gotas e candeias puras. E as mães
aproximam-se soprando os dedos frios.
Seu corpo move-se
pelo meio dos ossos filiais, pelos tendões
e órgãos mergulhados,
e as calmas mães intrínsecas sentam-se
nas cabeças filiais.
Sentam-se, e estão ali num silêncio demorado e apressado
vendo tudo,
e queimando as imagens, alimentando as imagens
enquanto o amor é cada vez mais forte.
E bate-lhes nas caras, o amor leve.
O amor feroz.
E as mães são cada vez mais belas.
Pensam os filhos que elas levitam.
Flores violentas batem nas suas pálpebras.
Elas respiram ao alto e em baixo. São
silenciosas.
E a sua cara está no meio das gotas particulares
da chuva,
em volta das candeias. No contínuo
escorrer dos filhos.
As mães são as mais altas coisas
que os filhos criam, porque se colocam
na combustão dos filhos, porque
os filhos estão como invasores dentes-de-leão
no terreno das mães.
E as mães são poços de petróleo nas palavras dos filhos,
e atiram-se, através deles, como jactos
para fora da terra.
E os filhos mergulham em escafandros no interior
de muitas águas,
e trazem as mães como polvos embrulhados nas mãos
e na agudeza de toda a sua vida.
E o filho senta-se com a sua mãe à cabeceira da mesa,
e através dele a mãe mexe aqui e ali,
nas chávenas e nos garfos.
E através da mãe o filho pensa
que nenhuma morte é possível e as águas
estão ligadas entre si
por meio da mão dele que toca a cara louca
da mãe que toca a mão pressentida do filho.
E por dentro do amor, até somente ser possível
amar tudo,
e ser possível tudo ser reencontrado por dentro do amor.

Texto: Herberto Helder, in ‘Excerto do poema «Fonte», publicado em A Colher na Boca, 1961’
Foto: João Carvalho (6 de Maio de 2018)

 

Anúncios

Posted 8 de Maio de 2018 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Confidência   1 comment

“Porque a minha mão infatigável
procura o interior e o avesso da aparência
porque o tempo em que vivo
morre de ser ontem …”

Texto: Mia Couto

Foto: João Carvalho, 2015

Posted 24 de Outubro de 2017 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Nem barcos de papel   Leave a comment

No lago das minhas lágrimas

Há-de navegar um barquinho de papel

Mensageiro de mim

Um barquinho colorido amarelo pastel

Nele há-de flutuar a minha cidade

E carregar no papel das velas

O nome da felicidade

Ficarei a vê-lo do cais do passeio

Cruzar lento o fundo da rua

E parar espantado e molhado

Nunca lhe ensinaram aquele caminho

Nem o Sol nem as estrelas

Nem a lua…

Nem como navegar sozinho

Nem a navegar à vista ou à bolina

Nem como lidar com o vento depois da esquina.

 

Texto: Raul Cordeiro

Foto: João Carvalho (Escaroupim, Portugal)

Posted 20 de Junho de 2017 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Às vezes há tardes…   Leave a comment

Às vezes há tardes que os meus braços
Não conseguem abraçar
E um grito surdo dos jardins onde passo
Há tardes em que levo a chuva no regaço
E grito sem a espada desembainhar
Enrolo-me sossegado no meu encanto
Respondo a mim próprio
Falo para dentro
E fica mais longínqua a aura do meu canto
Precisamos de rosas, espadas e açoites
Para fazer da tarde manhã
Para fazer de hoje amanhã.

Texto: Raul Cordeiro

Foto: João Carvalho

Posted 11 de Abril de 2017 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

7º Ano de vida   7 comments

Hoje é o dia em que se comemora o sétimo ano de existência deste blogue.

Obrigado a todos os que o visitam diariamente, a todos os que participam nele. Sem vocês não havia incentivo para continuar e já lá vão quase 51.000 visitas.

Obrigado a todos aqueles que têm o endereço do blogue nos favoritos do seu “browser”, obrigado a todos aqueles que o visitam através do facebook e por outras redes sociais.

OBRIGADO, PARTICIPEM, VISITEM.

Foto: João Carvalho (Elvas, Igreja da Piedade)

Posted 31 de Janeiro de 2017 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Gotas de chuva   2 comments

“Cada gota de chuva é uma palavra de Deus, resposta às orações permanentes. Ou talvez as gotas sejam olhos de Deus, multidão atenta, empurrada pelo vento e pela noite. Ou então está um Deus dentro de cada gota de chuva, e todos são o mesmo, e todos juntos têm o tamanho de um só, pousam no telhado e acomodam-se, escorrem pelas paredes, cobrem a casa inteira ou afundam-se directamente na terra porque têm pressa de voltar ao céu.”

Texto: José Luís Peixoto, “Em Teu Ventre”
Foto: João Carvalho

Posted 29 de Dezembro de 2016 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

o caminho também é um lugar   Leave a comment

“Estamos aqui, neste instante que esperou a sua vez desde a início dos tempos. Estamos aqui, o caminho também é um lugar.”

Texto: José Luís Peixoto

Foto: João Carvalho (Elvas, Portugal, 2015)

Artigo reeditado para comemoração das 50.000 visitas a este blogue !
A todos vós o meu Obrigado !
Um abraço !
João Carvalho

Posted 14 de Novembro de 2016 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

%d bloggers like this: