Archive for Janeiro 2014

4 aNoS De ViDa   Leave a comment

12Muitos parabéns pelo 4 ano de Vida, , de Textos, de Imagens !

A todos Obrigado !

 

Músicas, cheiros, gostos, fotografias são artifícios, meios que nos levam de volta, nos fazem reviver épocas e relembrar pessoas. Isso mesmo mesmo, não precisa ser bruxo, nem ter máquina do tempo, basta um pouco de sensibilidade e os sentidos funcionando.

Texto: Natan Gaia

Foto: João Carvalho (2010)

 

Anúncios

Posted 31 de Janeiro de 2014 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

Complexidades   3 comments

SONY DSCTraduzo gestos que observo.
Sem análise, com intuição.
Um dia este servo…
Não terá mais que pedir compaixão.
As teimosias despertas,
Vivas, de tanta encruzilhada volvida…
Foram portas abertas,
Quantas vezes despedidas…
Deste-me vida… Deste-me alma…
Cobriste os meus sonhos de realidade…
Apenas esqueci de dizer que quero sempre mais…
Busco o que me quer acolher.
Vivo do imediato, sem perseverança.
Entrego-me às resistências que teimam em aparecer.
A vida é esperança…
Respirar é (sobre)viver,
Tudo aquilo que o meu ser alcança…
Ou se vive ou se deixa morrer.

Texto: Eldazinha in http://vivemosdemomentos.blogspot.pt/

Foto: João Carvalho (Elvas)

Posted 29 de Janeiro de 2014 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

As minhas pontes…   Leave a comment

SONY DSCHá no encanto das flores
Uma ponte de mim para mim
Uma garra geológica
Pouco lógica
Como se a poesia que escrevo
Viesse em monte
Em onda trágica
Tornar-me seu servo
E da ponte emergem dois fins
E dois princípios, e um meio
E um receio…

Texto: Raul Cordeiro

Foto: João Carvalho (Elvas, 2012)

Posted 27 de Janeiro de 2014 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

Um homem…   1 comment

SONY DSC

 

 

 

 

Um homem percorre o mundo inteiro em busca daquilo que precisa e volta a casa para encontrá-lo.

 
Texto: George Moore

Foto: João Carvalho 

Posted 21 de Janeiro de 2014 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

Impossível é não viver   1 comment

SONY DSCSe te quiserem convencer de que é impossível, diz-lhes que impossível é ficares calado, impossível é não teres voz. Temos direito a viver. Acreditamos nessa certeza com todas as forças do nosso corpo e, mais ainda, com todas as forças da nossa vontade. Viver é um verbo enorme, longo. Acreditamos em todo o seu tamanho, não prescindimos de um único passo do seu/nosso caminho.

Sabemos bem que é inútil resmungar contra o ecrã do telejornal. O vidro não responde. Por isso, temos outros planos. Temos voz, tantas vozes; temos rosto, tantos rostos. As ruas hão-de receber-nos, serão pequenas para nós. Sabemos formar marés, correntes. Sabemos também que nunca nos foi oferecido nada. Cada conquista foi ganha milímetro a milímetro. Antes de estar à vista de toda a gente, prática e concreta, era sempre impossível, mas viver é acreditar. Temos direito à esperança. Esta vida pertence-nos.

Além disso, é magnífico estragar a festa aos poderosos. É divertido, saudável, faz bem à pele. Quando eles pensam que já nos distribuíram um lugar, que já está tudo decidido, que nos compraram com falinhas mansas e autocolantes, mostramos-lhes que sabemos gritar. Envergonhamo-los como as crianças de cinco anos envergonham os pais na fila do supermercado. Com a diferença grande de não sermos crianças de cinco anos e com a diferença imensa de eles não serem nossos pais porque os nossos pais, há quase quatro décadas atrás, tiveram de livrar-se dos pais deles. Ou, pelo menos, tentaram.

O único impossível é o que julgarmos que não somos capazes de construir. Temos mãos e um número sem fim de habilidades que podemos fazer com elas. Nenhum desses truques é deixá-las cair ao longo do corpo, guardá-las nos bolsos, estendê-las à caridade. Por isso, não vamos pedir, vamos exigir. Havemos de repetir as vezes que forem necessárias: temos direito a viver. Nunca duvidámos de que somos muito maiores do que o nosso currículo, o nosso tempo não é um contrato a prazo, não há recibos verdes capazes de contabilizar aquilo que valemos.

Vida, se nos estás a ouvir, sabe que caminhamos na tua direcção. A nossa liberdade cresce ao acreditarmos e nós crescemos com ela e tu, vida, cresces também. Se te quiserem convencer, vida, de que é impossível, diz-lhe que vamos todos em teu resgate, faremos o que for preciso e diz-lhes que impossível é negarem-te, camuflarem-te com números, diz-lhes que impossível é não teres voz.

Texto: José Luís Peixoto, in ‘Abraço’

Foto: João Carvalho (Arronches, 2014)

Posted 19 de Janeiro de 2014 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

versos azuis   2 comments

SONY DSC

 

 

 

Escrevo hoje versos azuis
Enquanto choram os olhos
E cantam os dentes e os lábios
Escrever um verso azul
É mais que um momento de poesia
É meu
Suave, quieto e quente
Suor literário do sul

Texto: Raul Cordeiro

Foto: João Carvalho

 

Posted 14 de Janeiro de 2014 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

TECER A VIDA   Leave a comment

SONY DSCQuando a nossa vida
É tecida no tear do tempo
Alvora a eternidade
E em laçadas de fios de prata
Um olho hábil
Constrói a nossa figura social
E nossos sonhos em cascata
Surgem tecidos em tom natural
Numa bitonalidade
Entre o amor e o ódio
Entre os tons cinzentos ou coloridos
De um breve episódio
Numa alegre ou triste remexida
Desse breve tempo
A que chamamos vida.

Texto: Raul Cordeiro

Foto: João Carvalho (Forte de Santa Luzia, Elvas, Amanhecer)

Posted 10 de Janeiro de 2014 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

%d bloggers like this: