Alquimia sem Dimensões   Leave a comment

SONY DSCEsculpir com alma é ser-se embaixador e alquimista dum templo de tentações que resiste ao tempo. Numa odisseia, onde é preciso encomendar com antecedência a felicidade, até garantir um oceano de sensações inteiramente nosso!
É preciso resistir ao tempo… sem saber a duração e o formato da temporalidade…
Locais inesperados fazem – no imaginário – uma mesa para dois. Quando caídos num, avistamos um avião que desenhou uma linha de fumo esbatido no céu, que parecia indicar um caminho que deveríamos seguir.
De olhos em bico, acabamos por nos (re)encontrar… Lá, onde as mais estranhas naturezas se juntam…
Ou não fosse a rua a melhor sala de cinema dos nossos dias. São inúmeras as fitas na rua… fitas de rua… sem tempo e espaço para acontecerem. Um amplo espectáculo aberto para passageiros ou simples transeuntes, que correspondam aos estímulos de arte! A novos ‘voos’…
No rasto deste fado, o que fica?
Um manto negro. Quiçá uma ardósia, pendurada à porta duma parede velha caiada de branco, com o horário do espectáculo por definir…
De rugas pisadas no rosto, o desfecho é simples de adivinhar e, já foi concretizado em palavras, por Oscar Wilde:
«Adoro as coisas simples. Elas são o último refúgio de um espírito complexo.»

Sim… Entrámos definitivamente noutra dimensão!

Texto: Eldazinha in http://vivemosdemomentos.blogspot.pt/

Foto: João Carvalho

Anúncios

Posted 24 de Setembro de 2013 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

Obrigado pelo seu comentário ! João Carvalho

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: