Archive for Junho 2011

O segredo fundo do mar   1 comment

“Caem várias flores no meu jardim
Algumas delas até bem bonitas
Mas existe uma em especial
Que eu quero só para mim
Essa flor não me deixa a conquistar
Ela é… o segredo fundo do mar”

Angélico Vieira

 

 

Publicada por elisabete

 

Foto: João Carvalho (Praia da Marinha, Junho de 2011)
Anúncios

Posted 29 de Junho de 2011 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

Sebastião Antunes em Elvas   Leave a comment

Mais uma vez Sebastião Antunes esteve em Elvas, na “Azevia”, muito bom mesmo.

Obrigado Sebastião.

 

Foto: João Carvalho (Azevia, Elvas, 25 de Junho de 2011)

 

Posted 26 de Junho de 2011 by João Carvalho in Foto, Musica

Tagged with

Corvos   Leave a comment

Posted 26 de Junho de 2011 by João Carvalho in Musica

Perdidos e Achados   1 comment

Até que enfim!

Grande oferta para mim mesmo.

Posted 24 de Junho de 2011 by João Carvalho in Musica

Notas musicais.   1 comment

Foto: João Carvalho (Vedor, Elvas, 23 de Junho de 2011)

Posted 24 de Junho de 2011 by João Carvalho in Foto

Tagged with

A ALMA DE UM HOMEM NA SUA CALMA   Leave a comment

Num lugar verde entre as colinas
Num pequeno vale isolado e silencioso
Que agora floresce profusamente
Ecoa um homem são, guloso e duro
Banhado pela névoa, é fresco e delicado
Como trigal de inverno e linho não maduro
Um homem humilde que nos seus anos juvenis
Sabia tanto de loucura como a que tinha feito
A sua primeira masculinidade exercera
Ficara esse amor perdido marcado no seu peito
E do sol, e do ar com brisa
As influências doces tremem por entre a sua camisa
A sua alma na calma sente a necessidade de sentir
Este caminho ou aquele caminho por cima dessas colinas
A invasão, o trovão e as raivas felinas
E todo o choque de ataque calado
E conflito indeterminado – agora dito
Por acaso e na sua ilha nativa
Carne e gemidos ecoam debaixo deste sol abençoado

Texto: Raul Cordeiro

Foto: João Carvalho

Posted 22 de Junho de 2011 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

Tempestade   Leave a comment

Vejo da minha janela azul
Da janela do meu quarto
A imensidão do céu a chorar
Com olhos de lágrimas sentidas
Chora lágrimas, pedras e destinos
Perdido no horizonte
Reclama num lampejar
A vida das nossas vidas
Caí do céu a verdade
Em forma de tempestade

Texto: Raul Cordeiro

Foto: João Carvalho (Elvas)

Posted 22 de Junho de 2011 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

%d bloggers like this: