Archive for Setembro 2010

Sentimentos seguidos   1 comment

Arremesso o meu braço largo em redor do Sol do teu brilho e do teu regaço e suo só de te ver passar bem junto ao meu reduto e vergo-me ao teu olhar e descanso em ti meus olhos nesse imenso campo de prazer absoluto de paisagens de desejo de te ver florescer numa manhã a meu lado e venderes-me um beijo molhado e então na noite fresca debaixo da árvore alta dos teus sentidos quando a noite que nos assalta se aproximar delicadamente escura como eu e tu perdidos nos nossos sonhos que nascem um para o outro num dealbar de dia depois da noite que no início sabe a pouco.

Texto: Raul Cordeiro
Foto: João Carvalho

Posted 28 de Setembro de 2010 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

Hoje senti….   1 comment

Hoje senti o que já tinha esquecido.

Senti o teu calor, senti a tua presença,  o teu viver, o teu sentido.

Senti que um dia,  nos  juntamos a ti, para ter sentido a vida.

Senti o que estava adormecido.

Texto: Fogo

Foto: João Carvalho

Posted 22 de Setembro de 2010 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

Fumo   1 comment

Longe de ti são ermos os caminhos,
Longe de ti não há luar nem rosas,
Longe de ti há noites silenciosas,
Há dias sem calor, beirais sem ninhos!

Meus olhos são dois velhos pobrezinhos
Perdidos pelas noites invernosas...
Abertos, sonham mãos cariciosas,
Tuas mãos doces, plenas de carinhos!

Os dias são Outonos: choram... choram...
Há crisântemos roxos que descoram...
Há murmúrios dolentes de segredos...

Invoco o nosso sonho! Estendo os braços!
E ele é, ó meu Amor, pelos espaços,
Fumo leve que foge entre os meus dedos!...

Texto: Florbela Espanca
Foto: João Carvalho

Posted 21 de Setembro de 2010 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

O Meu Impossível   1 comment

Minhalma ardente é uma fogueira acesa,
É um brasido enorme a crepitar!
Ânsia de procurar sem encontrar
A chama onde queimar uma incerteza!

Tudo é vago e incompleto! E o que mais pesa
É nada ser perfeito. É deslumbrar
A noite tormentosa até cegar,
E tudo ser em vão! Deus, que tristeza!…

Aos meus irmãos na dor já disse tudo
E não me compreenderam!… Vão e mudo
Foi tudo o que entendi e o que pressinto…

Mas se eu pudesse a mágoa que em mim chora
Contar, não a chorava como agora,
Irmãos, não a sentia como a sinto!…

Texto: Florbela Espanca

Foto: João Carvalho

Posted 21 de Setembro de 2010 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

Se eu voar…   Leave a comment

 Dei-te os melhores anos 
 Dos anos da minha vida
 Mas tu não és de poucas contas
 E pedes sempre mais
 Para mim dar
 É mesmo dar
 Sem pensar e sem olhar

 Se eu voar
 Vais-me agarrar as asas
 Se eu voar
 Voam comigo os sonhos
 Se eu voar
 Vais comigo
 Atirar ao mar
 As flores para me encontrar

 Deste-me na palma da mão
 Os teus sonhos
 E eu guardei o teu beijo no coração
 Mas eu não sou de poucas contas
 E peço-te um chão
 Um abraço, um beijo
 E a tua mão
                                                                 Texto: Raul Cordeiro     Foto: João Carvalho                 
 Se eu voar
 Vais-me agarrar as asas
 Se eu voar
 Voam comigo os sonhos
 Se eu voar
 Vais comigo
 Atirar ao mar
 As flores para me encontrar 

Posted 21 de Setembro de 2010 by João Carvalho in Sem categoria

Saudades   2 comments

Saudades! Sim… talvez… e porque não?…
Se o nosso sonho foi tão alto e forte
Que bem pensara vê-lo até à morte
Deslumbrar-me de luz o coração!

Esquecer! Para quê?… Ah! como é vão!
Que tudo isso, Amor, nos não importe.
Se ele deixou beleza que conforte
Deve-nos ser sagrado como pão!

Quantas vezes, Amor, já te esqueci,
Para mais doidamente me lembrar,
Mais doidamente me lembrar de ti!

E quem dera que fosse sempre assim:
Quanto menos quisesse recordar
Mais a saudade andasse presa a mim!

Texto: Florbela Espanca

Foto: João Carvalho

Posted 17 de Setembro de 2010 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with , , ,

O desfecho   Leave a comment

Que desfecho mais malandro
Que desfecho mais cruel
Sem ar, sem cor
Vestido de escafandro
Sem sabor, sem mel
No meio de um qualquer mar
Fiquei sem ar
Sem sequer respirar
Agora que me lembro
Nem penso sequer em ti
Mas pergunto a mim mesmo
Porque não consigo
Deixar de me lembrar
Que te esqueci

Texto: Raul Cordeiro

Foto: João Carvalho

Posted 16 de Setembro de 2010 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with ,

%d bloggers like this: